Os pescadores esportivos estão sempre buscando por peixes grandes e bons de briga. Entre os principais desafios está saber como pescar traíra, uma espécie agressiva e que requer cuidados na hora de ser capturada.

Quer melhorar a sua técnica e ter sucesso em suas pescarias? Este é um miniguia para que você aprenda como pescar traíra com mais agilidade e eficiência. Confira!

Conheça seu comportamento

Conhecida por suas enormes presas afiadas e características de peixe jurássico, a traíra é extremamente forte, voraz e violenta em caçadas. Ela se alimenta de pequenos peixes, crustáceos e anfíbios. Pode pesar até 3 quilos e ter aproximadamente 60 centímetros de comprimento.

Trata-se de um peixe de escamas com corpo cilíndrico, grandes olhos e nadadeiras arredondadas. Costuma aparecer mais em águas mais quentes (acima dos 18º) e mais próximo do fim da tarde, sendo este o melhor horário para pescar traíra.

Todas essas características, do comportamento à aparência, fazem da traíra um dos peixes mais populares e procurados entre os fãs da pesca esportiva.

Uma curiosidade é que o peixe deu origem à expressão “traíra”, que se refere a uma pessoa traidora. Isso porque essa espécie fica escondida nas sombras e sempre espera a hora certa para atacar suas presas.

Procure o local correto

O primeiro passo para a pesca de qualquer espécie é definir o lugar da atividade. E com a traíra não é diferente. A escolha do local onde você irá pescar vai definir as espécies que encontrará e o tipo de equipamento que deverá usar.

Apesar de serem muito comuns na Amazônia, as traíras são encontradas em praticamente todas as regiões do Brasil. Uma informação muito importante é que elas nunca ficam no meio dos rios, e costumam se abrigar perto de galhos e da vegetação à beira dos lagos.

A traíra costuma ficar próxima a galhadas e vegetações.

Escolha as iscas mais adequadas

Definido o local da pesca, é necessário saber qual é o melhor tipo de isca para pegar traíra. A escolha do equipamento vai variar de acordo com a área de pesca, mas no geral o peixe prefere iscas nas cores pretas, vermelhas e amarelas.

Para locais com pouca correnteza, o mais provável é que as traíras estejam localizadas em áreas escuras, com pouco movimento. Nesse caso, tanto as iscas naturais como as artificiais garantem boas fisgadas. Se você for pescar em algum ambiente aberto e com correnteza, a isca artificial é a melhor escolha.

Iscas naturais para traíra

  • cabeça de peixes pequenos
  • filézinho de peixes (como tilápia)
  • pequenos peixes

Iscas artificiais para traíra

  • iscas com cores vibrantes escuras
  • de superfície, meia água ou fundo
  • frog (isca com formato de sapa)

Experimente usar rubber

O rubber jig tem sido utilizado por muitos pescadores e se mostrado uma ótima alternativa para pescar traíra com isca artificial. Com uma aparência bastante fluida, se movimenta na água e atrai a atenção do animal. São muito recomendados para locais mais rasos, entre a vegetação. 

Ao utilizar essa tática, fique atento ao fundo da água, pois o peixe começará a se movimentar como forma de vulto. Ao recolher a isca, você saberá onde lançá-la na próxima vez.

Evite o uso de líder 

É comum que, ao pescar peixes que se abrigam em galhadas e tem atitudes agressivas, se utilize líder de fluorcarbono para reforçar a linha. Entretanto, para capturar traíras, essa pode não ser uma boa ideia.

Isso porque essa espécie é muito desconfiada. Como o líder pode alterar peso e o comportamento da isca, a traíra ficará ainda mais manhosa e dificilmente será fisgada por você.

Se você estiver perdendo muitos anzóis, experimente usar o utensílio e sentir como será a pescaria. Nesse caso, o ideal é o uso de um líder curto, que não ultrapasse 40 centímetros, e uma linha monofilamento entre 0,40 e 0,50 milímetros.

Deixe o anzol à mostra

Ao contrário da pescaria de outros peixes, não é preciso disfarçar ou esconder o anzol. Por seu comportamento voraz, a traíra morde a isca com bastante violência, e não será difícil de fisgá-la.

É importante destacar que, para a pesca da traíra, é recomendado o uso de anzóis reforçados, com tamanhos entre 4 e 5. Assim, você vai evitar que o equipamento estrague ou abra durante a captura de um grande exemplar da espécie.

Tome cuidado ao tirar a isca

Como já pontuamos, a traíra apresenta comportamento imprevisível e agressivo. Ao tirar o anzol da boca do peixe, tome muito cuidado, ou você pode acabar se machucando com as pontas ou até com os dentes do animal.

O ideal é sempre utilizar um alicate de contenção para segurar o peixe e um alicate menor para soltar o anzol. 

Use um alicate de contenção para não se machucar ao tirar a traíra da água.

Alterne a velocidade do recolhimento

O comportamento da traíra pode variar conforme a temperatura do dia ou da água. A melhor forma de encontrar a forma correta de capturar esse bruto é alternar a velocidade do recolhimento. 

Em dias em que a temperatura não está extrema, seja muito fria ou muito quente, pode ser que ela demore mais para fisgar, pois fica mais lenta. Portanto, lance a isca e vá alternando entre o recolhimento rápido e devagar.

Opte pela alta temporada

Apesar de a espécie ser encontrada em todas as estações do ano, uma boa dica para pescar traíra com sucesso é se atentar às épocas de alta temporada.

Os melhores meses para a pesca são entre dezembro e março, quando as traíras se alimentam com maior frequência. Além disso, esse é o período pós-reprodução, quando elas estão ainda mais ferozes e atacam qualquer coisa que se aproximar.

Emocionante, não é? Agora que você já sabe todas as dicas de como pescar traíra, é hora de colocar as nossas instruções em prática! Seguindo todas as orientações, é possível garantir uma pesca inesquecível e de grande sucesso.

Não se esqueça: ao sair para a sua pescaria, lembre-se de usar as roupas adequadas. Na Quisty, você encontra camisas exclusivas para pesca esportiva, que oferecem proteção contra os raios solares e ajudam a manter a temperatura corporal. Clique no banner abaixo para conferir!