Os peixes com escamas são reconhecidos por sua popularidade e composição nutricional. O salmão, por exemplo, é ótimo para preservar a memória, e o atum auxilia nas funções do sistema cardiovascular.

Todavia, o mesmo não acontece para os peixes que não apresentam escamas, como é o caso do peixe-espada e o tubarão. Alimentar-se da carne desses animais pode trazer riscos para a saúde do homem.

Para entender melhor sobre o assunto, a seguir falaremos tudo sobre as principais diferenças entre os dois tipos de peixes que fazem parte do cotidiano de um bom pescador. Pronto para saber mais a respeito? Então continue a leitura!

O que são escamas?

As escamas não são exclusivas dos peixes. Répteis como cobras, lagartos e crocodilos, anfíbios como tartarugas, insetos como borboletas e mariposas e até aves desenvolvem essas estruturas em suas peles. 

Nos peixes, elas são formadas de queratina, uma proteína sintetizada que também compõe os ossos, dentes e cabelo humanos. Para auxiliar na proteção e locomoção, ficam sobrepostas umas às outras, e irrigadas com muco.

Principais funções das escamas

As escamas têm como principal função a proteção. Elas funcionam como uma “armadura” do peixe, que por natureza tem uma pele macia e, portanto, com pouca defesa para predadores e eventuais choques.

As escamas servem, principalmente, como proteção para os peixes.

Além disso, as escamas também apresentam um importante papel na fisiologia dos animais. Grande parte deles dependem dessa estrutura externa para aumentar a concentração de cálcio no organismo.

O cálcio para os animais aquáticos é importante para reprodução e para outras atividades metabólicas essenciais para a sua sobrevivência. Sendo, portanto, um mineral fundamental para a vida desses seres.

Por fim, as escamas também têm uma função hidrodinâmica — o que, para nós, se assemelha à aerodinâmica, sendo que a única diferença é o ambiente de atuação.

A existência dessa estrutura garante uma redução da fricção da água com o animal, fazendo com que ele se locomova de maneira mais eficiente, garantindo um menor gasto energético.

Para nós, o mesmo efeito energético é atingido quando diminuímos a resistência com o ar — o que acontece muito em veículos e em outros equipamentos que têm como objetivo a alta performance.

Peixes sem escamas

Os peixes que não têm escamas podem ter diversos tipos e formatos, como as enguias, os cavalos marinhos, os bagres e as lampreias, e podem ser cobertos com formações ósseas, cartilaginosas ou apenas com couro.

Uma das grandes diferenças entre os peixes com e sem escamas são seus hábitos alimentares. Enquanto o primeiro grupo se alimenta próximo à superfície, o segundo come pequenos peixes, animais e dejetos do fundo do rio ou mar.

Isso faz com que os peixes sem escamas desenvolvam em sua flora um maior número de microorganismos, que apesar de serem necessários para os animais, podem prejudicar o ser humano.

Por que certos peixes não têm escamas?

As razões pelas quais certos tipos de peixes não têm escamas se relaciona aos processos evolutivos. Os tubarões, por exemplo, desevolveram uma cobertura cartilaginosa, que também é firme e serve como proteção contra outros peixes.

Já com relação à hidrodinâmica, as enguias e lampreias têm o corpo esguio e cilíndrico, o que também proporciona movimentos ágeis, e dispensa a necessidade de estruturas como as escamas.

Por fim, vale reforçar que a fauna marinha conhecida pelo homem é estimada em apenas 20% da população dos oceanos. O restante habita zonas no fundo do mar com alta pressão e sem incidência de luz, como a abissopelágica e a hadopelágica. 

Nessas áreas, naturalmente, os seres se desenvolveram de formas diferentes. Muitas das espécies conhecidas, como é o caso do peixe-diabo negro, têm estruturas bem diferentes dos peixes que habitam a parte mais alta dos oceanos, e não desenvolveram escamas em seus corpos.

O peixe diabo-negro habita a zona abissal e não possui escamas.

Quais peixes são indicados para alimentação?

As escamas apresentam uma importante função de proteção para os peixes que têm essa estrutura. Para os outros animais, que não apresentam essa espécie de “exoesqueleto”, há uma maior facilidade de contaminação com poluentes e com metais pesados.

Essa, por si só, já é uma das maiores razões que fazem com que os peixes sem escamas não sejam indicados para o consumo. Afinal de contas, a ingestão de metais pesados é extremamente danosa para saúde humana.

Alguns dos exemplos desses metais são o chumbo, o mercúrio, o cromo e o zinco. O cromo e o zinco, apesar de essenciais para o organismo em baixas quantidades e em sua estrutura química adequada, podem causar problemas imunológicos e de intoxicação que podem ter alta gravidade, quando ingeridos em grandes quantidades..

Já o mercúrio e o chumbo podem causar doenças gravíssimas, como a geração de alterações neurológicas, entre outras complicações médicas.

Portanto, apenas a presença da escama já é um bom indicativo de que o peixe pode ser ingerido como alimento. Esses detalhes e informações são os que diferem os pescadores mais avançados dos iniciantes no esporte (que por sinal, não realizam a pesca predatória dos animais).

Os peixes com escamas são mais indicados para a alimentação. Foto: Jakob Owens/Unsplash

Lista de peixes com e sem escamas

Para facilitar na memorização desse tópico, preparamos uma lista com os principais nomes de peixes com e sem escamas, tanto de água doce quanto de água salgada. Confira abaixo!

Peixes com escamas de água salgada

  • abrotea
  • anchova
  • arenque
  • atum
  • bacalhau
  • badejo
  • barbado
  • betara
  • bonito
  • cachorra
  • cambucu
  • castanha
  • cavala
  • cavalinha
  • cherne
  • corvina
  • dourado do mar
  • garoupa
  • gordinho
  • linguado
  • mandi
  • manjuba
  • merluza
  • mero
  • namorado
  • olhete
  • pargo
  • pescada
  • robalo
  • salmão
  • salmonete
  • sardinha 
  • sororoca
  • tainha

Peixes com escamas de água doce

Peixes sem escamas de água salgada

  • anjo
  • arraia
  • bagre
  • baleia
  • cação
  • caçonete
  • espada
  • moréia
  • machote
  • peixe-porco
  • peixe-serra
  • tubarão
  • viola

Peixes sem escamas de água doce

  • bagre
  • boto
  • pintado (ou surubim)

Os peixes com escamas podem apresentar uma série de vantagens, graças a essas estruturas. Para o ser humano, é comum que esse tipo de animal seja mais recomendado para a alimentação.